PORTUCÁLIA

Maio 15 2012
 
 
 
 
 
LIVRO 2
1. Começa cada dia por dizer a ti próprio: Hoje vou deparar com a intromissão,
a ingratidão, a insolência, a deslealdade, a má-vontade e o egoísmo — todos
devidos à ignorância por parte do ofensor sobre o que é o bem e o mal. Mas,
pela minha parte, já há muito percebi a natureza do bem e a sua nobreza, a
natureza do mal e a sua mesquinhez, e também a natureza do próprio culpado,
que é meu irmão (não no sentido físico, mas como meu semelhante, igualmente
dotado de razão e de uma parcela do divino); portanto nenhuma destas coisas
me ofende, porque ninguém pode envolver-me naquilo que é degradante. Nem
eu posso ficar zangado com o meu irmão ou entrar em conflito com ele; porque
ele e eu nascemos para trabalhar juntos, como, de um homem, as duas mãos,
os dois pés, as duas pálpebras ou os dentes de cima e de baixo. Criar
dificuldades uns aos outros é contra as leis da Natureza — e o que é a irritação,
ou a aversão, senão uma forma de criar dificuldades aos outros?

2. Um pouco de matéria, um pouco de respiração e uma Razão para tudo dirigir
— isto sou eu. (Esquece os teus livros; deixa de suspirar por eles; não faziam
parte do teu equipamento.) Como alguém já à beira da morte, não penses na
primeira — no seu sangue viscoso, nos seus ossos, na sua teia de nervos e
veias e artérias. E a respiração, o que é? Uma lufada de ar; e nem sequer o
mesmo ar, mas, antes, sempre diferente a cada inspiração e expiração. Mas a
terceira, a Razão, a mestra — é nela que te deves concentrar. Agora que o teu
cabelo já está grisalho, não deixes mais que ela tenha um papel de escrava, que
se contorça, qual marioneta, a cada acesso de interesse pessoal; e deixa de te
exasperares com o destino, resmungando com o hoje e queixando-te do
amanhã.

3. Toda a organização divina está impregnada da Providência. Mesmo os
caprichos do acaso têm o seu lugar no esquema da Natureza, isto é, no intricado
tecido das disposições da Providência. A Providência é a fonte donde fluem
todas as coisas; e a ela aliada, está a Necessidade, e o bem-estar do universo.
Tu próprio és parte do universo; e para qualquer das partes da natureza, aquilo
que lhe é atribuído pelo Mundo-Natureza, ou a ajuda a existir, é bom. Além
disso, o que mantém todo o mundo em existência é a Mudança: não meramente
a mudança dos elementos básicos, mas também a mudança das formações
maiores que elas compõem. Contenta-te com estes pensamentos, e consideraos sempre como princípios. Esquece a tua sede de livros, para que, quando o
teu fim chegar não resmungues, mas o encares com boa vontade e verdadeira
gratidão aos deuses.

4. Pensa nos teus muitos anos de adiamento; como os deuses repetidamente te
proporcionaram mais períodos de graça que não aproveitaste. Está na altura de
te dares conta da natureza do universo a que pertences, e da daquele poder
controlador de que és filho; e de compreenderes que o teu tempo tem um limite.— 36 —
Usa-o, portanto, para avançares no teu esclarecimento, senão ele vai-se e
nunca mais voltará a estar de novo em teu poder.
publicado por portucalia às 17:09

PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO