PORTUCÁLIA

Maio 24 2013

EVANGELHO QUOTIDIANO

"Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna". João 6, 68


Sexta-feira, dia 24 de Maio de 2013

Sexta-feira da 7ª semana do Tempo Comum


Festa da Igreja : Nossa Senhora da EstradaNossa Senhora Auxiliadora
Santo do dia : Santa Joana Antida Thouret, virgem, +1826 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
Beato João Paulo II : «Os dois serão um só» 

Livro de Eclesiástico 6,5-17.

Palavras amáveis multiplicam os amigos, a linguagem afável atrai muitas respostas agradáveis. 
Procura estar de bem com muitos, mas escolhe para conselheiro um entre mil. 
Se queres ter um amigo, põe-no primeiro à prova, não confies nele muito depressa. 
Com efeito, há amigos de ocasião, que não são fiéis no dia da tribulação. 
Há amigo que se torna inimigo, que desvendará as tuas fraquezas, para tua vergonha. 
Há amigo que só o é para a mesa, e que deixará de o ser no dia da desgraça; 
na tua prosperidade mostra-se igual a ti, dirigindo-se com à vontade aos teus servos; 
mas, se te colhe o infortúnio, volta-se contra ti, e oculta-se da tua presença. 
Afasta-te daqueles que são teus inimigos, e está alerta com os teus amigos. 
Um amigo fiel é uma poderosa protecção; quem o encontrou, descobriu um tesouro. 
Nada se pode comparar a um amigo fiel, e nada se iguala ao seu valor. 
Um amigo fiel é um bálsamo de vida; os que temem o Senhor acharão tal amigo. 
O que teme o Senhor terá também boas amizades, porque o seu amigo será semelhante a ele. 


Evangelho segundo S. Marcos 10,1-12.

Naquele tempo, Jesus pôs-Se a caminho e foi para o território da Judeia, para além do Jordão. As multidões agruparam-se outra vez à volta dele, e outra vez as ensinava, como era seu costume. 
Aproximaram-se uns fariseus e perguntaram-lhe, para o experimentar, se era lícito ao marido divorciar-se da mulher. 
Ele respondeu-lhes: «Que vos ordenou Moisés?» 
Disseram: «Moisés mandou escrever um documento de repúdio e divorciar-se dela.» 
Jesus retorquiu: «Devido à dureza do vosso coração é que ele vos deixou esse preceito.
Mas, desde o princípio da criação, Deus fê-los homem e mulher. 
Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher, 
e serão os dois um só. Portanto, já não são dois, mas um só. 
Pois bem, o que Deus uniu não o separe o homem.» 
De regresso a casa, de novo os discípulos o interrogaram acerca disto. 
Jesus disse: «Quem se divorciar da sua mulher e casar com outra, comete adultério contra a primeira. 
E se a mulher se divorciar do seu marido e casar com outro, comete adultério.» 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário do dia: 

Beato João Paulo II (1920-2005), papa 
Homilia da abertura do Sínodo sobre a Família, 26/09/1980, §5 

«Os dois serão um só»

Quando Cristo, antes da Sua morte, no limiar do mistério pascal, reza dizendo: «Pai Santo, guarda em Teu nome aqueles que Me deste, para que sejam um como Nós» (Jo 17,11), pede também de certa forma, e talvez de maneira especial, pela unidade dos esposos e das famílias. Ele reza pela unidade dos Seus discípulos, pela unidade da Igreja; ora, o mistério da Igreja é comparado ao matrimónio por São Paulo (Ef 5,32). 


Assim, não só a Igreja deposita na família uma grande parte dos seus cuidados, mas também considera o sacramento do matrimónio, de certa forma, como o seu modelo. No amor de Cristo, seu Esposo, que nos amou até à morte, a Igreja contempla os esposos e as esposas que prometeram amar-se durante toda a vida, até à morte. E considera que tem o dever particular de proteger este amor, esta fidelidade e esta honestidade, assim como todos os bens que dela decorrem para a pessoa humana e a sociedade. É a família que propriamente dá vida à sociedade; é na família que, pela educação, se forma a estrutura da própria humanidade, de todos os homens deste mundo.


No Evangelho, [...] o Filho fala assim ao Pai: «Dei-lhes as palavras que Tu me tinhas dado: eles receberam-nas [...], e acreditaram que foste Tu que me enviaste. [...] Tudo o que é Meu é Teu e tudo o que é Teu é Meu» (v.8-10). Não é certo que o eco deste diálogo está patente no coração dos homens de todas as gerações? Que estas palavras constituem, em si próprias, o tecido da própria vida e da história de todas as famílias e, através da família, de todos os homens? [...] «Eu rezo por eles [...], por aqueles que Me deste, pois são Teus» (v.9).

publicado por portucalia às 17:27

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

14
17

25

26
29
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO