PORTUCÁLIA

Setembro 07 2013

 

As imagens têm mais força dissuasora do que os textos, mas perdem força quando a sua visibilidade diminui, alertam cientistas britânicos.

"Fumar mata" é uma das frases que se tornou habitual nas embalagens de cigarros PEDRO CUNHA

Quando as mensagens acerca dos perigos do tabagismo vêm na parte de trás das embalagens de cigarros, o seu impacto nos adolescentes como incentivo contra o tabagismo é quase sempre muito baixo – e nalguns casos quase nulo.

Esta é a principal conclusão de um estudo agora publicado online por uma equipa britânica na revista Tobacco Control.

Os cientistas basearam o seu estudo nas respostas de mais de mil jovens britânicos com idades entre os 11 e os 16 anos, recolhidas em duas “vagas” (respectivamente em 2008 e 2011) no âmbito de um grande inquérito sobre o tabagismo jovem. Os avisos textuais eram idênticos nas duas alturas, mas em 2011 já havia imagens a acompanhar alguns textos no dorso das embalagens (a prática tornara-se entretanto obrigatória no Reino Unido).

Crawford Moodie, da Universidade de Stirling, e colegas concluem que, para os jovens que nunca fumaram ou que apenas o faziam ocasionalmente, a força dissuasiva dos avisos contra o tabagismo aumentou naqueles três anos. Mas para os que já fumavam regularmente – os cerca de 10% de adolescentes que já consumiam pelo menos um cigarro por semana –, não houve mudanças significativas do impacto das mensagens como incentivo para deixar de fumar. Houve, pelo contrário, uma maior tendência destes jovens para esconder as embalagens da vista, evitando assim ter de olhar para elas.

No que respeita às imagens, sempre impressas na parte de trás dos pacotes – e tirando três imagens-choque que mostram os pulmões doentes, os dentes podres e os cancros do pescoço de fumadores de longa data –, a capacidade de os jovens se lembrarem delas foi globalmente inferior à 10%. E os avisos puramente textuais impressos no dorso, sem imagens a acompanhar, quase não deixaram rastos na mente dos inquiridos: tanto em 2008 como em 2011, menos de 1% dos jovens conseguiam lembrar-se deles.

“Os avisos precisam de ser salientes para serem eficazes e a colocação dos avisos visuais apenas do lado menos visível das embalagens limita o seu impacto”, escrevem os cientistas, que consideram ser preciso repensar a colocação das imagens de forma a aumentar o seu impacto.
 

publicado por portucalia às 15:29

Setembro 07 2013

EVANGELHO QUOTIDIANO

"Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna". João 6, 68


Sabado, dia 07 de Setembro de 2013

Sábado da 22ª semana do Tempo Comum


Santo do dia : Beato Vicente de Santo António, presbítero e mártir, +1629 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
Concílio Vaticano II: «O Filho do Homem é Senhor do sábado.» 

Carta aos Colossenses 1,21-23.

Irmãos: Também a vós, que outrora andáveis afastados de Deus e éreis inimigos, com sentimentos expressos em acções perversas, 
agora Cristo reconciliou-vos no seu corpo carnal, pela sua morte, para vos apresentar santos, imaculados e irrepreensíveis diante dele, 
desde que permaneçais sólidos e firmes na fé, sem vos deixardes afastar da esperança do Evangelho que ouvistes; ele foi anunciado a toda a criatura que há debaixo do céu e foi dele que eu, Paulo, me tornei servidor. 


Evangelho segundo S. Lucas 6,1-5.

Num dia de sábado, passando Jesus através das searas, os seus discípulos puseram-se a arrancar e a comer espigas, desfazendo-as com as mãos. 
Alguns fariseus disseram: «Porque fazeis o que não é permitido fazer ao sábado?» 
Jesus respondeu: «Não lestes o que fez David, quando teve fome, ele e os seus companheiros? 
Como entrou na casa de Deus e, tomando os pães da oferenda, comeu e deu aos seus companheiros esses pães que só aos sacerdotes era permitido comer?» 
E acrescentou: «O Filho do Homem é Senhor do sábado.» 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário do dia: 

Concílio Vaticano II 
Constituição sobre a Sagrada Liturgia «Sacrosanctum Concilium», §§ 102, 106 

«O Filho do Homem é Senhor do sábado.»


A Santa Madre Igreja considera seu dever celebrar, em determinados dias do ano, a memória sagrada da obra de salvação de seu divino Esposo. Em cada semana, no dia a que chamou domingo, celebra a da Ressurreição do Senhor, como a celebra também uma vez por ano na Páscoa, a maior das solenidades, unida à memória da sua Paixão. […] 

Com esta recordação dos mistérios da Redenção, a Igreja oferece aos fiéis as riquezas das obras e merecimentos do seu Senhor, a ponto de os tornar como que presentes a todo o tempo, para que os fiéis, em contacto com eles, se encham de graça. […] 

Por tradição apostólica, que nasceu do próprio dia da Ressurreição de Cristo, a Igreja celebra o mistério pascal todos os oito dias, no dia que bem se denomina dia do Senhor ou domingo. Neste dia, devem os fiéis reunir-se para participar na Eucaristia e ouvir a palavra de Deus, e assim recordar a Paixão, Ressurreição e glória do Senhor Jesus e dar graças a Deus que os «regenerou para uma esperança viva pela Ressurreição de Jesus Cristo de entre os mortos» (1Ped 1,3). O domingo é, pois, o principal dia de festa a propor e inculcar no espírito dos fiéis; seja também o dia da alegria e do repouso.



publicado por portucalia às 15:06

PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11


22
23
24
25
27
28

29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO