PORTUCÁLIA

Março 01 2013

Estudo consegue interligar cérebros de animais

Agência Estado

0 comentário(s)

Um estudo publicado na quinta-feira (28) pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, da Universidade Duke, mostra que é possível conectar eletronicamente os cérebros de dois animais e transmitir informações de um para outro. O trabalho, publicado na revista Scientific Reports, inaugura uma nova linha de pesquisa batizada por Nicolelis de Interface Cérebro-Cérebro (ICC); uma variante da Interface Cérebro-Máquina (ICM), em que comandos elétricos do cérebro são usados para mover aparatos robóticos.

O artigo, submetido à revista em dezembro, sinaliza uma retomada da publicação de trabalhos pelo Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), interrompida há mais de um ano e meio por uma ruptura entre Nicolelis e um grupo de pesquisadores que abandonou a instituição. Um dos coautores é Carolina Kunicki, aluna de pós-doutorado no IINN-ELS. Segundo as informações contidas no estudo, ela participou da condução de experimentos em Natal, enquanto Nicolelis e outros autores da Duke desenharam os experimentos, analisaram os dados e escreveram o trabalho.

O estudo foi feito com recursos do CNPq para o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia - Interface Cérebro-Máquina (INCT-Incemaq), da Finep e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), além de fontes nos Estados Unidos e em Portugal.

O trabalho descreve uma sequência de experimentos em que ratos foram treinados para realizar tarefas envolvendo estímulos visuais e táteis, como o acionamento de alavancas para obter água quando uma luz acende. A atividade cerebral relacionada a essas tarefas foi captada por meio de eletrodos implantados no cérebro dos animais, decodificada e transferida eletronicamente em tempo real para o cérebro de outros ratos que, com isso, "aprenderam" a realizar as mesmas tarefas com um grau semelhante de acerto. Os primeiros ratos foram chamados codificadores e os segundos, decodificadores.

"Essas experiências mostraram que nós estabelecemos uma ligação de comunicação direta e sofisticada entre cérebros, que o cérebro decodificador funciona como um dispositivo de reconhecimento padrão. Então, basicamente, estamos criando uma espécie de computador orgânico", afirma Nicolelis, em um comunicado divulgado pela Associação Alberto Santos Dumont para Apoio à Pesquisa, que administra o IINN-ELS.

Os experimentos pioneiros foram desenvolvidos na Duke. Como uma demonstração adicional, a experiência foi repetida com a transmissão de dados a longa distância, via internet, entre ratos codificadores no IINN-ELS e ratos decodificadores na Duke.

A Scientific Reports é uma das mais de 80 revistas do grupo Nature. Em uma reportagem publicada no site do grupo na quinta-feira (28), outros especialistas questionaram o propósito do trabalho, chegando a compará-lo a um "roteiro pobre de ficção científica". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

publicado por portucalia às 14:55

Março 01 2013

Sexta-feira, dia 01 de Março de 2013

Sexta-feira da 2ª semana da Quaresma


Santo do dia : Santo Albino, bispo, +550,  S. Rosendo, bispo, +977,  Beato Miguel Carvalho e companheiros, mártires, +1624 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
Santo Ireneu de Lyon : A vinha de Deus 

Livro de Génesis 37,3-4.12-13a.17b-28.

Jacob preferia José aos seus outros filhos, porque era o filho da sua velhice, e mandara-lhe fazer uma túnica comprida. 
Os irmãos, vendo que o pai o amava mais do que a todos eles, ganharam-lhe ódio e não podiam falar-lhe amigavelmente. 
Um dia, os irmãos de José conduziram os rebanhos de seu pai para Siquém. 
E Israel disse a José: «Os teus irmãos apascentam os rebanhos em Siquém. Prepara-te, pois quero enviar-te para junto deles.» José respondeu: «Estou pronto.» 
Eles viram-no de longe e, antes que se aproximasse, fizeram planos para o matar. 
Disseram uns aos outros: «Eis que se aproxima o homem dos sonhos. 
Vamos, matemo-lo, atiremo-lo a qualquer cisterna e depois diremos que um animal feroz o devorou. Veremos, então, como se realizarão os seus sonhos.» 
Rúben ouviu-os e quis salvá-lo das suas mãos. Então disse: «Não atentemos contra a sua vida.» 
Rúben disse ainda: «Não derrameis sangue! Atirai-o à cisterna que está no deserto, mas não levanteis a mão contra ele.» O seu intento era livrá-lo das suas mãos para o fazer regressar ao seu pai. 
Quando José chegou junto dos irmãos, estes despojaram-no da túnica comprida que usava 
e, agarrando-o, lançaram-no à cisterna. Esta estava vazia e sem água. 
Depois, sentaram-se para comer. Erguendo, porém, os olhos, viram uma caravana de ismaelitas que vinha de Guilead. Os camelos estavam carregados de aroma, de bálsamo e láudano, que levavam para o Egipto. 
Judá disse aos irmãos: «Que vantagem tiramos da morte de nosso irmão, ocultando o seu sangue? 
Vinde, vendamo-lo aos ismaelitas e que a nossa mão não caia sobre ele, porque é nosso irmão e da nossa família.» E os irmãos consentiram. 
Passaram por ali alguns negociantes madianitas, que conseguiram tirar José da cisterna; e eles venderam-no aos ismaelitas por vinte moedas de prata. Estes levaram José para o Egipto. 


Evangelho segundo S. Mateus 21,33-43.45-46.

Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Escutai outra parábola: Um chefe de família plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe, cavou nela um lagar, construiu uma torre, arrendou-a a uns vinhateiros e ausentou-se para longe. 
Quando chegou a época das vindimas, enviou os seus servos aos vinhateiros, para receberem os frutos que lhe pertenciam. 
Os vinhateiros, porém, apoderaram-se dos servos, bateram num, mataram outro e apedrejaram o terceiro. 
Tornou a mandar outros servos, mais numerosos do que os primeiros, e trataram-nos da mesma forma. 
Finalmente, enviou-lhes o seu próprio filh

o, dizendo: 'Hão-de respeitar o meu filho.’ 
Mas os vinhateiros, vendo o filho, disseram entre si: 'Este é o herdeiro. Matemo-lo e ficaremos com a sua herança.’ 
E, agarrando-o, lançaram-no fora da vinha e mataram-no. 
Ora bem, quando vier o dono da vinha, que fará àqueles vinhateiros?» 
Eles responderam-lhe: «Dará morte afrontosa aos malvados e arrendará a vinha a outros vinhateiros que lhe entregarão os frutos na altura devida.» 
Jesus disse-lhes: «Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram transformou-se em pedra angular? Isto é obra do Senhor e é admirável aos nossos olhos? 
Por isso vos digo: O Reino de Deus ser-vos-á tirado e será confiado a um povo que produzirá os seus frutos. 
Os sumos sacerdotes e os fariseus, ao ouvirem as suas parábolas, compreenderam que eram eles os visados. 
Embora procurassem meio de o prender, temeram o povo, que o considerava profeta. 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário ao Evangelho do dia feito por : 

Santo Ireneu de Lyon (c. 130-c. 208), bispo, teólogo, mártir 
Contra as heresias, IV 36, 2-3; SC 100 

A vinha de Deus

Ao modelar Adão com o pó da terra (Gn 2,7) e ao eleger patriarcas, Deus plantou a vinha do género humano. Depois confiou-a a vinhateiros pelo dom da Lei transmitida por Moisés. Cercou essa vinha com uma sebe, isto é, circunscreveu a terra que eles teriam de cultivar; construiu uma torre, ou seja, escolheu Jerusalém; montou um lagar, ou seja, preparou os que iam receber o Espírito profético. E enviou-lhes profetas, antes do exílio de Babilónia; e, após o exílio, outros ainda em maior número, para reclamarem os frutos e para lhes dizerem [...]: «Endireitai os vossos caminhos e emendai as vossas obras» (Jr 7,3); praticai uma verdadeira justiça e excedei-vos em bondade e compaixão, cada um para com seu irmão. Não oprimais a viúva e o órfão, o estrangeiro e o pobre, e não formeis nos vossos corações maus desígnios uns para com os outros» (Zac 7,9-10) [...]; «lavai-vos, purificai-vos, tirai da frente dos Meus olhos a malícia das vossas acções; [...] aprendei a fazer o bem; procurai o que é justo, socorrei os oprimidos» (Is 1,16-17). [...]


Tais eram as prédicas por que os profetas reclamavam o fruto da justiça. Mas como as multidões continuassem incrédulas, enviou-lhes finalmente o Seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, a Quem os perversos vinhateiros mataram e lançaram para fora da vinha. Razão por que Deus a confiou – não a circunscrevendo já, antes a abrindo ao mundo inteiro – a outros vinhateiros para que estes Lhe entregassem o fruto na altura devida. A torre da eleição eleva-se por toda a Terra no seu esplendor, porque por toda a Terra a Igreja resplandece; por toda a Terra surge também erecto o lagar, porque por toda a Terra estão aqueles que recebem o Espírito de Deus. [...]


Por isso dizia o Senhor aos Seus discípulos, para fazer de nós bons obreiros: «Que os vossos corações não se tornem pesados com a devassidão, a embriaguez e as preocupações da vida [...]; velai, pois, orando continuamente» (Lc 21,34.36). [...] «Estejam apertados os vossos cintos e acesas as vossas lâmpadas. Sede semelhantes aos homens que esperam o seu senhor» (Lc 12,34-36).

publicado por portucalia às 14:46

PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


19
20
21
22
23

24



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO