PORTUCÁLIA

Fevereiro 05 2013

O  ÚLTIMO EXORCISTA

                                                           Antonio Ribeiro de Almeida

                                                                             77,professor aposentado USP, campus Ribeirão Preto

 

A leitura e a reflexão do livro do Pe. Gabriele Amorth , “ O último Exorcista- Minha batalha contra Satanás” (ed. Ecclesia, 20120 ) por parte de bispos, padres e leigos seria uma grande graça para a Igreja Católica.   Nos últimos vinte anos tem havido um grande número de autores que produzem best-sellers voltados para uma reinterpretação da origem da Igreja Católica como o famoso “ O Código Da Vinci” de Don Brown.  Depois dele vieram muitos outros com a  mesma temática :  atacar a ortodoxia e os dogmas da Igreja e a figura do Papa. Nas igrejas os padres mais ousados e que professam um catolicismo “light”  chegam a colocar em dúvida se na consagração do pão e do vinho estão presentes o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo.  Sob este ponto de vista são mais ousados do que Lutero que nunca  colocou em dúvida a presença real do Cristo  sob as espécies do pão  e do vinho. Em Ribeirão Preto  o bispo havia entregue a umas  Irmãs – cuja ordem não me lembro – que  inovavam nos folhetos das missas que o  demônio não existia e que os “possessos” eram enfermos que Jesus curava.  Elas negavam o Evangelho, pois o Cristo declara muitas vezes que havia  vindo ao mundo para curar os enfermos e expulsar os demônios.  Outra característica deste Catolicismo “light” é que nas homilias a maioria dos padres têm horror em falar  em Lúcifer e passam pelo homilia como  gatos sobre brasas.

Pois bem, o livro Pe. Amorth denuncia todo esta  situação que a Igreja está vivendo e o gravíssimo fato de  que a maioria dos bispos não indicam exorcistas para as suas dioceses e o antigo ritual foi modificado e não tem a força do antigo que era em Latim.  Na Itália a situação não é tão dramática como no Brasil porque  o Vaticano está vigilante e os bispos indicam exorcistas.

Mas o livro  do Pe. Amorth é fundamental que seja lido porque ele relata a inúmeros exorcismos que praticou em Roma e  em outros países que não deixam a menor dúvida da presença de  Lúcifer e dos seus anjos  para destruir a vida de inúmeros  católicos.  A descrição dos exorcismos mostra que a  batalha contra Satanás é terrível e que, ao contrário do que mostra os filmes de Hollywood, - como “O Exorcista” – a expulsão do inimigo é longa e pode durar meses com a realização de muitas sessões.  Pe. Amorth é auxiliado em muitos exorcismos por  neurologistas, psiquiatras que presenciam os fatos que ocorrem durante as orações e se entraram céticos saem abalados da descrença que professavam.   O título do livro é chamativo e não quer dizer que  o Pe. Amorth  seja o “último” exorcista.  Ele informa que o atual Papa, Bento XVI, está em luta aberta contra o inimigo e cita que quando invoca  o nome do atual Papa e de  João Paulo II  o Maligno  tem reações altamente  agressivas.  Li as 214 páginas de uma assentada só. E vou reler vários  trechos.  Paulo VI em 29 de junho de 1972 fez uma declaração muito grave: “ tenho a sensação de que, por alguma fissura, a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus.  Existe a dúvida, a incerteza, a problemática, a inquietude, a insatisfação, o confronto.  Não há confiança na Igreja...”

Além deste livro o Pe. Amorth escreveu em 2002 “ Exorcismo e Psiquiatra”  mostrando como tem recebido a colaboração de  renomados psiquiatras que diagnosticam aos  católicos que atende e que este ou aquele caso é ou não um caso para a medicina. Para mim, como leigo, eu  considero que neste nosso país inúmeros assassinatos que são cometidos  apresentam tal nível de perversidade que só a inspiração diabólica explica.  Finalmente deixo um registro para os sacerdotes:  “ ... são as pessoas mais atacadas pelo demônio.  Têm só uma possibilidade de não se deixar vencer: REZAR E JEJUAR. “

 

 

publicado por portucalia às 16:17

Fevereiro 05 2013

22/12/2012 08h53 - Atualizado em 22/12/2012 09h12

Trilha que seria de cobra de 15 m assusta moradores na Tailândia

Marcas apareceram na ilha de Koh Mai Pai.
Cabras e patos sumiram da ilha recentemente.

Do G1, em São Paulo

42 comentários

Marcas que seriam de uma cobra gigante deixaram assustados os moradores de Koh Mai Pai, na Tailândia. A longa trilha de pares de círculos, com cada círculo de 20 centímetros de diâmetro, foi vista no dia 14 de dezembro, segundo o site "Phuket News".

Trilha teria sido deitada por cobra de 15 metros (Foto: Reprodução)Trilha teria sido deixada por cobra de 15 metros (Foto: Reprodução)

Especialistas locais estimaram que a serpente que fez a trilha deve ter, pelo menos, 15 metros de comprimento.

O chefe da aldeia Anan Sansamuth lembrou que algumas cabras e patos sumiram da ilha recentemente, mas os moradores pensaram que os animais tivessem sido devorados por uma píton. No passado, uma píton de oito metros teria sido capturada na ilha.

Para ler mais notícias do Planeta Bizarro, clique em g1.globo.com/planeta-bizarro. Siga também o Planeta Bizarro no Facebook, no Twitter e por RSS.

 

publicado por portucalia às 12:24

Fevereiro 05 2013

Terça-feira, dia 05 de Fevereiro de 2013

Terça-feira da 4ª semana do Tempo Comum


Santo do dia : Santa Águeda, virgem, mártir, +251,  S. Felipe de Jesus, religioso, mártir, +1597 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
Santo Ambrósio : «Sou Eu que te digo: levanta-te!» 

Carta aos Hebreus 12,1-4.

Irmãos: Deste modo, também nós, circundados como estamos de tal nuvem de testemunhas, deixando de lado todo o impedimento e todo o pecado, corramos com perseverança a prova que nos é proposta, 
tendo os olhos postos em Jesus, autor e consumador da fé. Ele, renunciando à alegria que lhe fora proposta, sofreu a cruz, desprezando a ignomínia, e sentou-se à direita do trono de Deus. 
Considerai, pois, aquele que sofreu tal oposição por parte dos pecadores, para que não desfaleçais, perdendo o ânimo. 
Ainda não resististes até ao sangue na luta contra o pecado. 


Evangelho segundo S. Marcos 5,21-43.

Naquele tempo, depois de Jesus ter atravessado, no barco, para a outra margem, reuniu-se uma grande multidão junto dele, que continuava à beira-mar. 
Chegou, então, um dos chefes da sinagoga, de nome Jairo, e, ao vê-lo, prostrou-se a seus pés 
e suplicou instantemente: «A minha filha está a morrer; vem impor-lhe as mãos para que se salve e viva.» 
Jesus partiu com ele, seguido por numerosa multidão, que o apertava. 
Certa mulher, vítima de um fluxo de sangue havia doze anos, 
que sofrera muito nas mãos de muitos médicos e gastara todos os seus bens sem encontrar nenhum alívio, antes piorava cada vez mais, 
tendo ouvido falar de Jesus, veio por entre a multidão e tocou-lhe, por detrás, nas vestes, 
pois dizia: «Se ao menos tocar nem que seja as suas vestes, ficarei curada.» 
De facto, no mesmo instante se estancou o fluxo de sangue, e sentiu no corpo que estava curada do seu mal. 
Imediatamente Jesus, sentindo que saíra dele uma força, voltou-se para a multidão e perguntou: «Quem tocou as minhas vestes?» 
Os discípulos responderam: «Vês que a multidão te comprime de todos os lados, e ainda perguntas: 'Quem me tocou?’» 
Mas Ele continuava a olhar em volta, para ver aquela que tinha feito isso. 
Então, a mulher, cheia de medo e a tremer, sabendo o que lhe tinha acontecido, foi prostrar-se diante dele e disse toda a verdade. 
Disse-lhe Ele: «Filha, a tua fé salvou-te; vai em paz e sê curada do teu mal.» 
Ainda Ele estava a falar, quando, da casa do chefe da sinagoga, vieram dizer: «A tua filha morreu; de que serve agora incomodares o Mestre?» 
Mas Jesus, que surpreendera as palavras proferidas, disse ao chefe da sinagoga: «Não tenhas receio; crê somente.» 
E não deixou que ninguém o acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. 
Ao chegar a casa do chefe da sinagoga, encontrou grande alvoroço e gente a chorar e a gritar. 
Entrando, disse-lhes: «Porquê todo este alarido e tantas lamentações? A menina não morreu, está a dormir.» 
Mas faziam troça dele. Jesus pôs fora aquela gente e, levando consigo apenas o pai, a mãe da menina e os que vinham com Ele, entrou onde ela jazia. 
Tomando-lhe a mão, disse: «Talitha qûm!», isto é, «Menina, sou Eu que te digo: levanta-te!» 
E logo a menina se ergueu e começou a andar, pois tinha doze anos. Todos ficaram assombrados. 
Recomendou-lhes vivamente que ninguém soubesse do sucedido e mandou dar de comer à menina. 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário ao Evangelho do dia feito por : 

Santo Ambrósio (c. 340-397), bispo de Milão, doutor da Igreja 
Comentário sobre o Evangelho de Lucas, 6, 60-63 

«Sou Eu que te digo: levanta-te!»

Antes de ressuscitar uma menina morta, foi para levar à fé que Jesus começou por curar a mulher que sofria de perdas de sangue. Foi para te instruir que Ele fez parar esse fluxo de sangue e curou a mulher, quando Se encaminhava para a menina.


Do mesmo modo, é para acreditarmos na nossa ressurreição eterna que celebramos a ressurreição histórica do Senhor que se seguiu à Sua paixão. [...] Os servos do chefe da sinagoga vieram disseram: «De que serve agora incomodares o Mestre?» Eles ainda não acreditam na ressurreição de Jesus, profetizada na Lei e concretizada no Evangelho. Por isso, ao chegar à casa Jesus leva conSigo poucas testemunhas da ressurreição que vai acontecer: não foi grande o número dos que acreditaram de imediato na ressurreição. Quando Jesus declara: «A menina não morreu, está a dormir», a multidão fez «troça d'Ele», pois os que não acreditam troçam. Que chorem então os seus mortos os que os crêem mortos: quando se tem fé na ressurreição, não é o fim que se vê na morte, mas um repouso. [...]


Tomando, pois, a menina pela mão, Jesus curou-a e mandou que lhe dessem de comer. Foi uma afirmação de vida, para que se pudesse crer na realidade e não numa ilusão. Feliz daquela a quem a Sabedoria assim tem pela mão! Praza a Deus que ela também assim me sustenha nas minhas ações, que a justiça me tenha pela mão, que o Verbo, a Palavra de Deus, tome a minha mão e me conduza a esse lugar escondido onde mora. Que afaste o meu espírito do erro, que conduza aquele que salvou e ordene que me dêem de comer, pois o Verbo de Deus é o pão do céu (cf Jo 6,32). É por isso que essa Sabedoria, que depôs no altar santo os alimentos divinos do Seu Corpo e do Seu Sangue, declara:  «Vinde, comei do Meu pão e bebei do vinho que preparei» (Pr 9,5).

publicado por portucalia às 11:41

PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



26


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO