PORTUCÁLIA

Março 03 2012
O presidente moçambicano, Armando Guebuza, convidou os concidadãos residentes em Lisboa que concluíram a formação em várias universidades portuguesas a voltarem ao país de origem, para dar o seu contributo no processo de desenvolvimento do país, informação a agência de notícias moçambicana AIM.
Segundo Guebuza, os quadros que têm estado a ser formados nas cerca de 30 instituições de ensino superior, criadas nos últimos 36 anos de independência de Moçambique, não têm sido suficientes para preencher todas as vagas. 
O Chefe de Estado, que falava domingo com os moçambicanos residentes em terras lusas, num encontro que juntou centenas de concidadãos na capital lisboeta, sublinhou que a demanda de quadros com o grau académico superior superou a oferta devido às descobertas de recursos minerais que têm estado a ser feitas em algumas regiões do país. 
O presidente, que deverá tomar parte a partir de hoje numa cimeira entre os dois países, destacou que as reservas de carvão em Tete e de gás em Cabo Delgado exacerbaram a procura de quadros no país, havendo indicações de que só para a área de carvão precisar-se-á de pouco mais de 2000 engenheiros, especialmente geólogos. 
\'Moçambique tem estado no centro das atenções das bolsas de valores no mundo, em resultado das recentes descobertas de carvão e gás. Um dos maiores desafios que as descobertas nos colocam, tem a ver com a disponibilidade de técnicos moçambicanos para trabalharem nestes empreendimentos. As nossas instituições de ensino superior estão a formar muitos técnicos. Mesmo no estrangeiro, incluindo aqui em Portugal, esta formação está a ser feita\', disse Guebuza. 
publicado por portucalia às 13:54

Março 03 2012

 

 

 

 

Sábado da 1ª semana da Quaresma


Santo do dia : Beato Inocêncio de Berzo, presbítero, +1890,  Santos Marino e Astério, mártires, +260 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
Bem-aventurado Tito Brandsma: «Eu digo-vos: [...] orai por aqueles que vos perseguem» 

Evangelho segundo S. Mateus 5,43-48.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:«Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. 
Eu, porém, digo-vos: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem. 
Fazendo assim, tornar-vos-eis filhos do vosso Pai que está no Céu, pois Ele faz com que o Sol se levante sobre os bons e os maus e faz cair a chuva sobre os justos e os pecadores. 
Porque, se amais os que vos amam, que recompensa haveis de ter? Não fazem já isso os cobradores de impostos? 
E, se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não o fazem também os pagãos? 
Portanto, sede perfeitos como é perfeito o vosso Pai celeste.» 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário ao Evangelho do dia feito por : 

Bem-aventurado Tito Brandsma, mártir, carmelita holandês (1881-1942) 
Convite ao heroísmo, na fé e no amor 

«Eu digo-vos: [...] orai por aqueles que vos perseguem»

Muitas vezes ouvimos dizer que vivemos tempos maravilhosos, tempos de grandes homens. [...] É compreensível que haja quem deseje que se erga um chefe forte e capaz. [...] Essa espécie de neo-paganismo [o nazismo] considera toda a natureza como uma emanação do divino [...]; acredita que há raças mais puras e mais nobres que outras. [...] Daí vem o culto da raça e do sangue, o culto dos heróis do próprio povo.

Partindo de uma ideia tão errónea, essa maneira de ver pode conduzir a erros capitais. É triste ver quanto entusiasmo e quantos esforços são postos ao serviço dum tal ideal, falso e sem fundamento! Contudo, podemos aprender com o nosso inimigo. Com a sua filosofia mentirosa, podemos aprender a purificar o nosso próprio ideal e a melhorá-lo; podemos aprender a desenvolver um grande amor por esse ideal, a suscitar um imenso entusiasmo e mesmo a disponibilidade para viver e morrer por ele; a fortalecer a coragem para o incarnar, em nós próprios e nos outros. [...]

Quando falamos da vinda do Reino e quando rezamos para que ele venha, nunca pensamos numa discriminação com base na raça ou no sangue, mas na fraternidade de todos os homens, uma vez que todos os homens são nossos irmãos — sem excluir mesmo aqueles que nos odeiam e nos atacam —, em ligação estreita com Aquele que faz nascer o sol sobre os bons e sobre os maus (cf Mt 5,45).

publicado por portucalia às 13:39

Março 02 2012

Comento :  destaquei esta parte da homilia do Papa Bento XVI na 4a feira de Cinzas onde ele nos mostra  importancia do 40 na vida dos judeus e dos cristãos.  Esamos em plena Quaresma, isto é, os 40 dias nos quais devemos nos purirficar dos nossos pecados e renovar nossas vidas preparando-nos para a Páscoa do Senhor Jesus. 

 

 

"O número quarenta aparece antes de tudo na história de Noé.
Por causa do dilúvio, este homem justo transcorre quarenta dias e quarenta noites na arca, juntamente com a sua família e com os animais que Deus lhe tinha dito que levasse consigo. E espera outros quarenta dias, depois do dilúvio, antes de tocar a terra firme, salva da destruição (cf. Gn 7, 4.12; 8, 6). Depois, a próxima etapa: Moisés permanece no monte Sinai, na presença do Senhor, quarenta dias e quarenta noites, para receber a Lei. Durante todo este tempo, jejua (cf. Êx 24, 18). Quarenta são os anos de viagem do povo judeu do Egipto para a Terra prometida, tempo propício para experimentar a fidelidade de Deus. "Recorda-te de toda essa travessia de quarenta anos que o Senhor, teu Deus, te fez sofrer no deserto... As tuas vestes não envelheceram sobre ti, e os teus pés não se magoaram durante estes quarenta anos", diz Moisés no Deuteronómio, no final destes quarenta anos de migração (Dt 8, 2.4). Os anos de paz de que Israel goza sob os Juízes são quarenta (cf. Jz 3, 11.30) mas, transcorrido este tempo, começa o esquecimento dos dons de Deus e o retorno ao pecado. O profeta Elias emprega quarenta dias para chegar ao Horeb, o monte onde se encontra com Deus (cf. 1 Rs 19, 8). Quarenta são os dias durante os quais os cidadãos de Nínive fazem penitência para obter o perdão de Deus (cf. Gn 3, 4). Quarenta são também os anos dos reinos de Saul (cf. Act 13, 21), de David (cf. 2 Sm 5, 4-5) e de Salomão (cf. 1 Rs 11, 41), os três primeiros reis de Israel. Também os Salmos apresentam o significado bíblico dos quarenta anos, como por exemplo o Salmo 95, do qual ouvimos um trecho: "Se ouvísseis hoje a sua voz: "Não endureçais os vossos corações como em Meribá, como no dia de Massá no deserto, quando os vossos pais me provocaram e me puseram à prova, apesar de terem visto as minhas obras. Durante quarenta anos essa geração desgostou-me, e Eu disse: é um povo de coração obstinado, que não compreendeu os meus caminhos!"" (vv. 7c-10). No Novo Testamento Jesus, antes de começar a vida pública, retira-se no deserto por quarenta dias, sem comer nem beber (cf. Mt 4, 2): alimenta-se da Palavra de Deus, que utiliza como arma para derrotar o diabo. As tentações de Jesus evocam as que o povo judeu enfrentou no deserto, mas que não soube vencer. Quarenta são os dias durante os quais Jesus ressuscitado instrui os seus, antes de subir ao Céu e enviar o Espírito Santo (cf. Act 1, 3).
Com este recorrente número quarenta é descrito um contexto espiritual que permanece actual e válido, e a Igreja, precisamente mediante os dias do período quaresmal, tenciona conservar o seu valor perdurável e fazer com que a sua eficácia esteja presente. A liturgia cristã da Quaresma tem a finalidade de favorecer um caminho de renovação espiritual, à luz desta longa experiência bíblica e sobretudo para aprender a imitar Jesus, que nos quarenta dias transcorridos no deserto ensinou a vencer a tentação com a Palavra de Deus. Os quarenta anos da peregrinação de Israel no deserto apresentam atitudes e situações ambivalentes. Por um lado, eles são a estação do primeiro amor com Deus e entre Deus e o seu povo, quando Ele falava ao seu coração, indicando-lhe continuamente o caminho a percorrer. Deus tinha, por assim dizer, feito morada no meio de Israel, precedia-o dentro de uma nuvem ou de uma coluna de fogo, providenciava cada dia à sua alimentação, fazendo descer o maná e brotar a água da rocha. Portanto, os anos que Israel passou no deserto podem ser vistos como o tempo da eleição especial de Deus e da adesão a Ele por parte do povo: o tempo do primeiro amor. Por outro lado, a Bíblia mostra também mais uma imagem da peregrinação de Israel no deserto: é inclusive o tempo das tentações e dos maiores perigos, quando Israel murmura contra o seu Deus e gostaria de voltar ao paganismo e constrói para si os próprios ídolos, porque sente a exigência de venerar um Deus mais próximo e tangível. É também o tempo da revolta contra o Deus grande e invisível.
Esta ambivalência, tempo da proximidade especial de Deus - tempo do primeiro amor - e tempo da tentação - tentação da volta ao paganismo - encontramo-la de modo surpreendente no caminho terreno de Jesus, naturalmente sem qualquer compromisso com o pecado. Depois do baptismo de penitência no Jordão, no qual assume sobre Si o destino do Servo de Deus que renuncia a Si mesmo e vive pelos outros e insere-se entre os pecadores para assumir sobre si o pecado do mundo, Jesus vai ao deserto para aí permanecer por quarenta dias em profunda união com o Pai, repetindo assim a história de Israel, todos aqueles ritmos de quarenta dias ou anos aos quais me referi. Esta dinâmica é uma constante na vida terrena de Jesus, que procura sempre momentos de solidão para rezar ao seu Pai e permanecer em íntima comunhão, em íntima solidão com Ele, em comunhão exclusiva com Ele, e depois voltar para o meio do povo. Mas neste tempo de "deserto" e de encontro especial com o Pai, Jesus encontra-se exposto ao perigo e é acometido pela tentação e pela sedução do Maligno, que lhe propõe um caminho messiânico diferente, distante do desígnio de Deus, porque passa através do poder, do sucesso e do domínio, e não através do dom total na Cruz. Eis a alternativa: um messianismo de poder, de sucesso, ou um messianismo de amor, de doação de si.
Esta situação de ambivalência descreve inclusive a condição da Igreja a caminho no "deserto" do mundo e da história. Neste "deserto" nós, crentes, temos certamente a oportunidade de fazer uma profunda experiência de Deus, que fortalece o espírito, confirma a fé, alimenta a esperança e anima a caridade; uma experiência que nos torna partícipes da vitória de Cristo sobre o pecado e sobre a morte mediante o Sacrifício de amor na Cruz. Mas o "deserto" é também o aspecto negativo da realidade que nos circunda: a aridez, a pobreza de palavras de vida e de valores, o secularismo e a cultura materialista, que fecham a pessoa no horizonte mundano da existência, subtraindo-o a qualquer referência à transcendência. Este é também o ambiente em que o céu acima de nós está obscuro, porque coberto com as nuvens do egoísmo, da incompreensão e do engano. Não obstante isto, também para a Igreja contemporânea o tempo do deserto pode transformar-se em tempo de graça, porque temos a certeza de que até da rocha mais dura Deus pode fazer brotar a água viva que sacia e revigora. Caros irmãos e irmãs, nestes quarenta dias que nos conduzirão à Páscoa de Ressurreição podemos encontrar nova coragem para aceitar com paciência e com fé todas as situações de dificuldade, de aflição e de prova, na consciência de que das trevas o Senhor fará nascer o novo dia. E se formos fiéis a Jesus, seguindo-O no caminho da Cruz, o mundo luminoso de Deus, o mundo da luz, da verdade e da alegria ser-nos-á como que restituído: será a nova aurora criada pelo próprio Deus. Bom caminho de Quaresma para todos vós! No final da audiência geral, o Sumo Pontífice dirigiu-se aos fiéis presentes, pronunciando em português as seguintes palavras.

A minha saudação amiga para o grupo escolar da Lourinhã e todos os peregrinos presentes de língua portuguesa. A Virgem Maria tome cada um pela mão e vos acompanhe durante os próximos quarenta dias que servem para vos conformar ao Senhor ressuscitado. A todos desejo uma boa e frutuosa Quaresma! "

 

publicado por portucalia às 18:25

Março 02 2012

Brasileiros em Angola

Atitude Business Travels acompanha de perto a evolução das relações Brasil-Angola, já que sua diretoria atua neste intercâmbio há mais de uma década. Hoje, com sede noRio de Janeiro, suporte em São Paulo e escritório em Luanda, oferece além do atendimento personalizado aos brasileiros em Angola, serviços como:

  • Auxílio para obtenção de vistos de trabalho, ordinário e de lazer
  • Emissão de bilhetes com a TAAG, TAP e SAA
  • Seguro viagem
  • Renovação de vistos em Angola
  • Atendimento pessoal nos aeroportos de Galeão e Guarulhos
  • Atendimento pessoal no aeroporto 4 de fevereiro, em Luanda
  • Exame de febre amarela no desembarque
  • Locação de veículos em qualquer cidade brasileira e Luanda
  • Auxílio para locação de residência em Angola
  • Atendimento VIP a executivos de empresas brasileiras em Luanda
  • Confira aqui a relação de documentos necessários para a obtenção de visto angolano
publicado por portucalia às 16:25

Março 02 2012

 

 

Os embates entre o exército e os rebeldes e um atentado suicida na saída de uma mesquita deixaram ao menos 55 mortos nesta sexta-feira em uma zona tribal do noroeste do Paquistão na fronteira com o Afeganistão, segundo as autoridades locais.

Os dois incidentes ocorreram com algumas horas de diferença em Tirah, no distrito tribal de Jyber, dominado pelo grupo rebelde Lashkar-e-Islam, dirigido pelo guerrilheiro Mangal Bagh.

O atentado tinha como alvo vários fiéis que saíam de uma mesquita depois da grande oração da sexta-feira em uma região controlada por rebeldes. "Ao menos 22 pessoas morreram e 20 ficaram feridas", declarou à AFP Jamilur Rehman, responsável administrativo do distrito, que afirmou que o número de vítimas poderia aumentar.

 

cOMENTÁRIO : Para mim é um mistério de iniquidade onde a mão do demônio está presente as mortes diárias que ocorrem nos países árabes e, geralmente, nas saídas das mesquitas onde os fiéis a Alé etavam a rezar. Não entendo, definitivamente, como estes árabes possam ser tão passionais e odiarem uns aos outros e se matarem desta forma.  Que Deus tenha misericórdia deste povo e eu me peregunto :  até quando irão se matar diaramente ?   

publicado por portucalia às 16:11

Março 02 2012

 

 

Sexta-feira, dia 02 de Março de 2012

Sexta-feira, dia 02 de Março de 2012

Sexta-feira da 1ª semana da Quaresma


Santo do dia : Santa Inês de Praga, religiosa, +1282,  S. Simplício, papa, +483 

Ver comentário em baixo, ou carregando aqui 
São Cirilo de Jerusalém : Quaresma: «tempo favorável» para a confissão e o perdão, antes de nos aproximarmos do altar do Senhor 

Evangelho segundo S. Mateus 5,20-26.

Naquele tempo, disse Jesus aos discípulos: «Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu.» 
«Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. 
Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar 'imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar 'louco’ será réu da Geena do fogo. 
Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, 
deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta. 
Com o teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que ele te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. 
Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pagues o último centavo.» 



Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org 



Comentário ao Evangelho do dia feito por : 

São Cirilo de Jerusalém (313-350), bispo de Jerusalém e doutor da Igreja 
Catequese para o baptismo, nº 1, §5 

Quaresma: «tempo favorável» para a confissão e o perdão, antes de nos aproximarmos do altar do Senhor

É agora o tempo da confissão. Confessa os teus pecados de palavra e de acção, os da noite e os do dia. Confessa-os neste «tempo favorável» e, no «dia da salvação» (Is 49,8; 2Co 6,2), recebe o tesouro celeste. [...] Deixa o presente e crê no futuro. Andaste tantos anos sem parares os teus trabalhos vãos aqui da terra, e não podes parar quarenta dias para te ocupares do teu próprio fim? «Parai! Reconhecei que Eu sou Deus», diz a Escritura (Sl 46,11). Renuncia ao chorrilho de palavras inúteis, não digas mal nem escutes o maldizente, mas dispõe-te desde já a rezar. Mostra, na ascese, o fervor do teu coração; purifica esse receptáculo, para receberes uma graça mais abundante. Porque a remissão dos pecados é dada de modo igual a todos, mas a participação no Espírito Santo é concedida segundo a medida da fé de cada um. Se não te esforçares, recolhes pouco; se te esforçares muito, grande será a tua recompensa. És tu próprio que estás em jogo; vela pelos teus interesses.


Se tens um agravo contra alguém, perdoa-lhe. Acabas de receber o perdão dos teus pecados; impõe-se, portanto, que também perdoes o pecador, senão como dirás ao Senhor: «perdoa-me os meus muitos pecados», se tu próprio não perdoares ao teu companheiro de trabalho algumas faltas que tenha cometido contra ti? (cf Mt 18,23ss)

Sexta-feira da 1ª semana da Quaresma Santo do dia : Santa Inês de Praga, religiosa, +1282, S. Simplício, papa, +483 Ver comentário em baixo, ou carregando aqui São Cirilo de Jerusalém : Quaresma: «tempo favorável» para a confissão e o perdão, antes de nos aproximarmos do altar do Senhor Evangelho segundo S. Mateus 5,20-26. Naquele tempo, disse Jesus aos discípulos: «Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu.» «Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar 'imbecil’ será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar 'louco’ será réu da Geena do fogo. Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta. Com o teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que ele te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pagues o último centavo.» Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org Comentário ao Evangelho do dia feito por : São Cirilo de Jerusalém (313-350), bispo de Jerusalém e doutor da Igreja Catequese para o baptismo, nº 1, §5 Quaresma: «tempo favorável» para a confissão e o perdão, antes de nos aproximarmos do altar do Senhor É agora o tempo da confissão. Confessa os teus pecados de palavra e de acção, os da noite e os do dia. Confessa-os neste «tempo favorável» e, no «dia da salvação» (Is 49,8; 2Co 6,2), recebe o tesouro celeste. [...] Deixa o presente e crê no futuro. Andaste tantos anos sem parares os teus trabalhos vãos aqui da terra, e não podes parar quarenta dias para te ocupares do teu próprio fim? «Parai! Reconhecei que Eu sou Deus», diz a Escritura (Sl 46,11). Renuncia ao chorrilho de palavras inúteis, não digas mal nem escutes o maldizente, mas dispõe-te desde já a rezar. Mostra, na ascese, o fervor do teu coração; purifica esse receptáculo, para receberes uma graça mais abundante. Porque a remissão dos pecados é dada de modo igual a todos, mas a participação no Espírito Santo é concedida segundo a medida da fé de cada um. Se não te esforçares, recolhes pouco; se te esforçares muito, grande será a tua recompensa. És tu próprio que estás em jogo; vela pelos teus interesses. Se tens um agravo contra alguém, perdoa-lhe. Acabas de receber o perdão dos teus pecados; impõe-se, portanto, que também perdoes o pecador, senão como dirás ao Senhor: «perdoa-me os meus muitos pecados», se tu próprio não perdoares ao teu companheiro de trabalho algumas faltas que tenha cometido contra ti? (cf Mt 18,23ss)

publicado por portucalia às 15:55

Março 01 2012

No final dos anos 50 do século XX eu era um jovem jornalista do "Diário de Minas" de Bello Horizonte e à noite é que terminava de redigir minha matéria para o Gonçalves, editor chefe, fazer sua revisão. Lá pelas 21 horas costumava  vir à redação o pintor Guignard que conhecia de "vista". Nunca conversei com ele, mas sabia de sua fama e de se pretígio na famosa Escola do Parque. Já estava idoso e alquebrado pela bebida.  Suas pinturas eram disputadas pela alta sociedade belorizontina e muitos  exploravam a sua bonomia e sua bondade.  A pintura que mostro hoje é um quadro de 1939 de uma Festa de São João numa Ouro Preto fantástica.  Como mineiro eu vivi muitas dessas festas que eram uma tradição das Minas Gerais.  O pintor  mostrou bem  a noite de São João onde os foguetes e as girandolas iluminavam a noite e concorriam com as estrelas no céu.  Os balões constituiam um espetáculo à parte e os festeiros concoriam com  seus balões para mostrar qual que subia mais alto e mais tempo navegavam entre as nuvens antes de se queimarem.  Na minha memória de velho ainda ouço as cantigas dos meninos  que alegravam a noite com o " Cai, cai, balão, na noite de São João. "  

publicado por portucalia às 23:51

Março 01 2012

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 COM

 

 


bastante atraso e usando luvas de pelica os bispos da CNBB resolveram, com grande temor de ofender a Rede Globo, de finalmente  emitirem um pronunciamento contra os tais programas BBB Brasil que não passa de um conjunto de sacanagens e pura sexolatria que satisfaz os brasileiros  que gostam de porcaria e se deleitam na merda.  Até  relação sexual já aconteceu neste tal de BBB e a coisa foi tão grosseira que o personagem masculino foi expulso do programa.  O que acontece é que estes jovens, sem formação moral nenhuma, ganham  um dinheirinho e os 15 minutos de fama e são chamados para posarem nús  em revistas ou participarem de outros programss de TV de baixo nível.  A TV brasileira, de canal aberto - que não se paga para ver - é de péssima qualidade e as pessoas com  algum recurso  contratam a NET ou a SKY onde podem assistir  filmes e/ou documentários  realizados na Europa ou nos Estados Unidos.  

A Rede Globo não gostou do puxão de orelhas dos bispos e sua diretoria, que nunca teve moral nenhuma,  saiu-se  com o argumento que é uma emissora laica e nao segue  princípios religiosos. É deste tipo de postura que o diabo gosta e alguns dos seus diretores que já partiram deste mundo devem estar se "refrescando" nas chamas do Inferno.  

publicado por portucalia às 23:41

Março 01 2012

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

bastante atraso e usando luvas de pelica os bispos da CNBB resolveram, com grande temor de ofender a Rede Globo, de finalmente  emitirem um pronunciamento contra os tais programas BBB Brasil que não passa de um conjunto de sacanagens e pura sexolatria que satisfaz os brasileiros  que gostam de porcaria e se deleitam na merda.  Até  relação sexual já aconteceu neste tal de BBB e a coisa foi tão grosseira que o personagem masculino foi expulso do programa.  O que acontece é que estes jovens, sem formação moral nenhuma, ganham  um dinheirinho e os 15 minutos de fama e são chamados para posarem nús  em revistas ou participarem de outros programss de TV de baixo nível.  A TV brasileira, de canal aberto - que não se paga para ver - é de péssima qualidade e as pessoas com  algum recurso  contratam a NET ou a SKY onde podem assistir  filmes e/ou documentários  realizados na Europa ou nos Estados Unidos. 

A Rede Globo não gostou do puxão de orelhas dos bispos e sua diretoria, que nunca teve moral nenhuma,  saiu-se  com o argumento que é uma emissora laica e nao segue  princípios religiosos. É deste tipo de postura que o diabo gosta e alguns dos seus diretores que já partiram deste mundo devem estar se "refrescando" nas chamas do Inferno.  

publicado por portucalia às 23:39

Março 01 2012

Evangelho segundo S. Mateus 7,7-12. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Pedi, e ser-vos-á dado; procurai, e encontrareis; batei, e hão-de abrir-vos. Pois, quem pede, recebe; e quem procura, encontra; e ao que bate, hão-de abrir. Qual de vós, se o seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? Ora bem, se vós, sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está no Céu dará coisas boas àqueles que lhas pedirem.» «Portanto, o que quiserdes que vos façam os homens, fazei-o também a eles, porque isto é a Lei e os Profetas.» Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org

 

Comentário ao Evangelho do dia feito por : São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero em Antioquia, depois bispo de Constantinopla, Doutor da Igreja Homilias sobre a incompreensibilidade de Deus, n° 5 «Quem pede recebe» A oração é uma arma poderosa, um tesouro indestrutível, uma riqueza inesgotável, um porto ao abrigo das tempestades, um reservatório de calma; a oração é a raiz, a fonte e a mãe de bens consideráveis. [...] Mas a oração de que falo não é medíocre nem negligente; é uma oração ardente, que brota do sofrimento da alma e do esforço do espírito. Eis a oração que sobe aos céus. [...] Escuta o que diz o escritor sagrado: «Ao Senhor, no meio da angústia, eu clamo e Ele me ouve» (Sl 119,1). Aquele que ora assim na sua angústia poderá, após a oração, desfrutar na sua alma de uma grande alegria. [...] Por «oração» entendo não aquela que se encontra apenas na boca, mas a que brota do fundo do coração. Como as árvores cujas raízes estão profundamente enterradas não se quebram nem são arrancadas mesmo que os ventos desencadeiem mil assaltos contra elas, porque a suas raízes estão fortemente presas nas profundezas da terra, também as orações que vêm do fundo do coração, assim enraizadas, sobem ao céu com toda a segurança e não são desviadas por nenhum pensamento de falta de segurança ou de mérito. É por isso que o salmista diz: «Do fundo do abismo, clamo a vós, Senhor» (Sl 129,1). [...] Se o facto de contares aos homens os teus infortúnios pessoais e descreveres as provações por que passaste traz algum alívio à tua desventura, como se através das palavras se exalasse uma brisa refrescante, com muito mais razão se falares ao Senhor dos sofrimentos da tua alma encontrarás consolo e conforto em abundância! De facto, muitas vezes os homens dificilmente suportam aqueles que vêm lamentar-se e chorar para o pé de si: afastam-se e repelem-nos. Mas Deus não age assim; pelo contrário, Ele faz com que te aproximes e abraça-te; e mesmo que passes o dia inteiro a narrar os teus infortúnios, ficará ainda mais disposto a amar-te e a acolher favoravelmente as tuas súplicas.

publicado por portucalia às 22:16

PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



25
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO