PORTUCÁLIA

Outubro 20 2012

A PROCISSÃO DO ENCONTRO

 

                                                                  AntonioRibeirode Almeida

 

Ao Pe. Henrique Cláudio deLimaVaz, S.J.,amigoemCristo,que,emvidafoium modelodesacerdotee filósofo. 

 

 

Quinta-feiraSanta,emSerrana, naqueleanode 1950, amanheceubelaeesplendorosa.   Anaturezacontrariava odramadaPaixãoqueaIgrejavivia e acidade, aocontráriodasLamentaçõesde Jeremias,nãopareciaterchoradosemcessarduranteanoite.  Anoitedequarta-feiranãoforanadasanta.  Ocarteadocorreu,comosempre, noÉdenClube.  E osjogadoresprofissionais,comoQuincas e Mulatinho, haviam,emdupla, ganhado muitasmãosdepôquerdosincautos.  OmovimentonaEsquinadoPecadonãocessaraatéoamanhecer, e o entra- e- sai nacasadaRitaPéGrandee Gertrudes havia sidomuitogrande.Rita,apesardeseruma “mulherdavida”,erarespeitada pelas outrasmulherescasadasporquenuncaatrapalharaumcasamentoeatéaconselhavahomensqueiam àsuaprocura.Quandoelapercebiaqueumfreguêscomeçava aenrabichar, buscavalogoumamaneiradenãoatendê-lomais.Rita  mantinhasuascrendices, e, noseuquarto, umalamparinadeazeiteiluminavaumquadrodeSãoJorgee aimagemdoSagradoCoraçãode Maria.  PadreRaul de hámuitohavia desistido departedesserebanhorebeldequesóaparecia nasuaigrejanosbatizados,casamentosoumissasdecorpopresente. Confessarereceberaeucaristianãoeracomeles. Reservara,contudo, umasurpresaparaRita. Naterça-feira, haviapostonocorreioumsantinhoparaelacomosseguintesdizeres:

 

Querida Filha, Nosso Senhor não esqueceu de você, e muito menos eu, nas minhas orações. Você está convidada a acompanhar Nossa Senhora das Dores na procissão do encontro. Que Deus a abençoe.  Pe. Raul de Faria  Cunha”.  

 

Quandorecebeu aquela carta, Rita  ficou feliz, mastemerosaao mesmotempo.  Olhou a imagemdo SagradoCoraçãode Maria e intimamente disse “Obrigada, minha Mãe. Mas como posso eu, pobre pecadora, acompanhar a Senhora?” Retirou dasuavelhabolsaummaço docigarroClarim e buscou numatragadadiminuir aansiedadequeaqueleconvitelhe causara. Tomou umadecisão.  NaquelaSemanaSanta,não receberianenhumhomempara aprática dosexo.  Havia economizadoalgunscruzeiros eeles eramsuficientespara oarmazém epara acompra doSal deFruta Enoque tomavacontra aaziaque a incomodava havia algumtempo. Para aprocissão, usaria ovestidomaisdiscretoque possuía e carregaria,como osoutros fiéis, umavelabranca. 

 

Naquinta-feira, Pe. Raul começara ausaroalto-falantelogodepoisdasoitohorasdamanhã.    Demeiaemmeiahora,eleanunciavaparaosquatrocantosdaPraçadaMatrizqueofamosoFreiTauzin, cujasoraçõessacras atraíammultidões, estaria pregando naProcissãodoEncontrologomaisànoite, equeas duasbandasdemúsicairiamacompanharaprocissãodeNossoSenhordosPassose a deNossaSenhoradasDores.NossoSenhorsairia dacapeladeSantoAntônio eNossaSenhorada igrejinha doBarreirodeBaixoàs dezoitohorasemponto, eeleacentuavacomsuavozgraveefirmequeoscatólicosnãose atrasassem.  Oencontrose daria naPraçadaMatrizporvoltadas vinte horas.  .

 

EmSerrana, asbandas“TeodolinoSoares” e “MaestroChiquinho Perón” disputavam aspreferênciasdopovo. Tinhaparoquianoqueacompanhava umaprocissão,nãotantoporcausadasuadevoçãoaoSenhorJesusouaNossaSenhora,masseguia a  bandadesuapreferência. AntesdaquelaSemanaSanta, as duasbandashaviam ensaiadodurantemuitasnoites. Elasse esmeravam naexecuçãodehinossacrose depreferênciapopulares,comoo “QueremosDeus” e “SetePalavras”quetodopovocantavacomemoçãoe algumadesafinação.   Duranteosensaios, a molecada corria dasedede umabandaparaasededaoutra, ouvindo e palpitandoquea do “MaestroChiquinho Perón” estavamelhorequeninguémalcançava aalturae a sonoridadequeeletirava doseupistomdeouro.OutraatraçãodameninadaeraveroCaburébaquetarotarolejogarparaoarasbaquetas queapanhavacomextremadestreza. DuranteaSemanaSanta,Caburése transformava edeixava deserojardineiroqueperseguia noJardimPúblicoosmeninosquepisavam nagramaouarrancavamrosas. Orgulhosodoseuuniformee dotarol,elebrilhava aosolhosda molecada naBandadoMaestroChiquinho Perón e pareciamenosfeiodoqueera. 

 

Quandoas procissõespartiam das igrejinhas,  erao pistomde cadabandaquedava a entradado hinoqueos fiéis iam cantar.  O pistomsolfejava a melodiado primeiroverso:  “Queremos Deus,  homens ingratos” e em seguida a banda entrava  com o povo todo cantando “Ao Pai Supremo, ao Redentor. Zombam da fé os insensatos, Erguem-se em vão contra o Senhor”  Banda epovo se fundiam numsócantoque subia aoscéus danoiteestrelada deSerrana.

 

Duranteospreparativos, osIrmãosdoSantíssimoe aIrmandadedo Carmo haviam examinado,comomáximocuidado, aimagememtamanhorealdo Cristocarregandosuacruz. Retocaram  apinturadosanguequelheescorria dacoroadeespinhose verificaram  se acruze aimagemestavamseguramentefixadas noandor.  As Filhas de Maria cuidaramcomomesmoesmerodaimagemdeNossaSenhora.  OrostodaMãede Jesus mostravatodoo sofrimentoquelhecausava aPaixãodoseuFilho.  Representandoisto,umpunhalestava cravado emseupeito.  Osdoisandorespesavambastanteesomentehomensemulheresfortesos carregavamsemdispensarem,contudo, asmuletasdeapoio.

 

A quinta-feirafoi umdiadedicado às confissõesindividuaise maisde seissacerdotesatenderam os fiéis queprocuravam se livrardos pecadosquehaviam cometido duranteo ano, seja contraos mandamentosdo Decálogoouos da Igreja.  PadreRaul nãose cansara de ouviros pecadoscontrao sextoe o nonomandamentoquepediam aos católicosqueguardassem castidadenas palavras, obras, pensamentose desejos. Desejara mulherdo próximo, adulterare masturbareram os pecadosmaisfreqüentese eles  jáhaviam cansadoos seusouvidos. Mesmoassim, nãodesistia dos seusparoquianose depoisde umbrevee amigoconselhoproferia, emlatim, a absolvição.  PadreRaul, formado no Semináriode Mariana, obedecia rigorosamenteàs trêspartesda absolvição.  Os penitentescolocavam o ouvidoà telado  confessionárioparaouvirem o finaldaquele ritoquePe. Raul traduzia parao português: “Que Nosso Senhor Jesus Cristo te absolva; e eu, por Sua autoridade, te absolvo de todo o vínculo de excomunhão e de interdito, enquanto eu posso e tu necessitas.”  Depois deouviristo e apenitência, ofiel ia ,de almanova,paraum dosbancos daMatrizcumprirsuapenitência.

 

Paracolaborarcomaprocissão, ocomérciodeSerranafechousuasportasàs duashorasdatarde.Todomundofoiparacasaseprepararparaosacontecimentosdanoite.  Asmulheresviriamcomosseusvestidosdemangacompridae ovéuderendabranca  acobriracabeça.  Oshomens,comodecostume, deternoescuroegravata.  OsIrmãosdoSagradoCoraçãode Jesus vestiriamsuasopasvermelhas e fariam aguardadehonrajuntoaoCristo. Logodepoisdoandor, viria abandademúsicaexecutando numandamentolentoetristeoshinosprogramados.

 

Porvoltadascincohorasdatardeopovofoi se aglomerando,tantonacapeladoBarreirodeBaixo,comonaCapeladeSantoAntonio.  As Filhas de Maria andavamparacimaeparabaixotomandomile uma providências.   Ãfrentede todas, a catequista ZiláPassosorientava, davaumúltimoarranjonaimagemdeNossaSenhorae escalava osdiferentesgruposdemulheresqueiriamcarregaroandoraolongodaprocissãoquepercorreriaumtrechodemaisdequatroquilômetros.Ritachegoumeioacanhada,comonãodesejandoservista. Masa catequista,logoquea enxergou nomeiodasmulheres, a chamou:

 

- “Rita, vem para cá,  minha irmã. Você ficará ao meu lado e preciso de sua ajuda durante a procissão para que os fiéis não deixem espaço entre as filas e para levar meus recados para a banda sobre o hino que deverá tocar”.” Ela  não teve outra alternativa  a não ser dizer” Sim, senhora! “e ficou aolado da catequista. 

 

Enquantoisto, nacapeladeSantoAntonio, oshomensse organizavam e Chico “Gordo” tomava afrentenatarefadeescalaroshomensquecarregariam oandordoSenhordosPassos.  ChicoeraumcatólicoquePe. Raul usavacomo“pauparatodaobra”.Apesarda cachacinhaquetomavanosfinaisdesemana,eleconservava dajuventudeumamusculaturainvejávele ,quandose tratava decarregarmóveisoualgumatarefapesadadentrodaMatriz, opadremandavachamaro Chico.  Suaforçaerainvejada eerabemomodelodosprimeiroscristãosqueenfrentavam osleõesnoColiseude Roma equequebravamsuasqueixadascommãospoderosasantesquefossem devorados.  

 

Àsseishoras,comoprogramado, asfilasdoshomense dasmulheres, nas duasigrejas, começaram a sedeslocar. LogoatrásdoandordeNossoSenhordosPassos, vinhaabandadomaestro“Chiquinho Perón”enãodemoroumuitoparaqueosomdoseupistomcortasse oarcomasnotasiniciaisdo “QueremosDeus”. Logoemseguida,  a “Furiosa” -comocarinhosamenteerachamada– atacou ohinocomtodososseusinstrumentose os fiéis cantaram,emaltoebomsom, osoitoversosquecompunhamessehinotradicional.

 

Entreos hinos, nas duas procissões, os fiéis rezavam no Terçoos MistériosDolorosos  da vidade Jesus.  Na procissãoda Mãede Jesus, eraa Dica, que, comsuavozfanhosae estridente, declamava os mistérios, e, na procissãodo Senhordos Passos, erao Mário sacristãoquepuxava o terço.  Depoisde cadaterçorezado, as bandastocavam maisumhinoe lentamenteas duas procissõesse deslocavam pelas ruasde Serranaemdireçãoà Praçada Matriz. Trêsvezes,o Senhordos Passoscaiu soba pesadacruz, quandoos homensfaziam umgrandeesforçoparacolocaro andorsobreo chão, e, depois, levantá-lo. Na subidada ruado Quebra, o Senhorparou maisuma veze o  seurostoensangüentado foi enxugado no sudárioda  Verônica  queentoou uma pequenaparteda Paixão.  Finalmente, às vinte horas, as duas procissõesse encontraram na Praçada Matriz.  Jesus e Maria estavam frentea frente.  Milharesde fiéis se espalhavam ao longoda Praça, enquantoos meninos, paramelhoravistarem FreiTauzin, se empoleiravam nas árvores.  Num púlpito, armado nas escadariasda Matriz, divisava-se o pregadordominicano envoltono seuhábitobrancoe umcapuzquelhecobria a cabeça.  Naturalmente, semqueninguémpedisse, o silênciofoi tomando contadaquela massade fiéis.  FreiTauzin, queestava ajoelhado no fundo  do púlpito, levantou-se.  De estaturamediana, cabeloslourosmostrava um  rosto  fortee suaveao mesmotempo.  Comsuavozpoderosae clara, proclamou: “Mulier, ecce filius tuusMulher, eis aí o teu filho.   Mães de Serrana, olhai para a Mãe do Deus feito homem.  Ela tem cravado no seu peito um punhal e dos seus olhos rolam lágrimas de pena e dó ao ver assim, tão maltratado, tão desfigurado, o seu Filho Amado. “ E durante uma hora, Frei Tauzin mostrou porque suas pregações comoviam, se fosse possível comparar, até as pedras.  Muitos homens e mulheres tiravam os seus lenços e enxugavam as lágrimas que o arrependimento dos pecados faz nascer.  Rita, perdida na multidão, buscou a sombra de uma árvore aonde as luzes não chegavam, e, talvez, como Pedro, chorou amargamente de arrependimento por sua vida de pecadora pública.  Por volta das nove horas da noite, Frei Tauzin arrematou sua pregação ,exortando os fiéis : “  Fixai em vossas memórias a Cruz que Nosso Senhor Jesus Cristo carrega.  Carrega sem lamentações, sem reclamações e sem imprecações.  Meus filhos e filhas, cada um de vós tendes também uma Cruz para carregar.  Carregai-a com coragem, fé e esperança.  Ela está em vossas vidas sob muitas   formas.  Às vezes,  de uma doença, de um problema na família, da perda de um ente querido.  Quando ela vos pesar, voltai os vossos olhos para o Cristo e Ele, disto tenho certeza, virá vos ajudar e aliviar o peso da vossa Cruz.  ‘  Eassim falando,Frei Tauzin ajoelhoumais umavez e rezouumPai-Nosso e umaAve-Maria que amultidão acompanhou. Emseguida, osdoisandores se movimentaramemdireção àMatriz, e, tendo Jesus àfrente, as duasimagens penetraram naIgrejaapenas iluminadapelaluz dasvelas.  Asportas daMatriz se fecharam e opovo,pouco apouco, refluiupara assuascasascomo refluem asondas domardepois de avançaremsobre apraia.

 

 Rita  foi uma das últimas adeixaraPraçaqueficoudeserta.  Retomou ocaminhodesuacasinha naEsquinadoPecado.  Chegandolá, olhou demoradamente aimagemdoSagradoCoraçãode Maria e disse àSenhora:  “Mãe, rogaipormim!. “ E, comumadeterminaçãoquenuncaexperimentara navida,  foi colocandoseusvestidosmaissimplesnumavelhamala.  IriaembarcarnotremMistodascincohorasdamanhãcomdestinoaPonteNova.  Resolveraaceitaroconvitequesuatiavivialhefazendoparairmorarcomelaeajudarnotrabalhodeumpequenosítio.  Voltava àsuaorigemrural. Nãose despediu de nenhumacompanheiradaEsquinadoPecado. Antesqueodiaamanhecesseelatomou oMisto, e àmedidaqueavelha“maria -fumaça” da Leopoldina Railway avançavaemdireçãoaPonteNova, aneblinaqueaindacercavaSerranafoi se esvanecendoparaquenascesseumnovodia.

publicado por portucalia às 14:37

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



PORTUCÁLIA é um blog que demonstra para os nossos irmãos portugueses como o governo brasileiro é corrupto. Não se iludam com o sr. Lula.Textos literários e até poesia serão buscados em vários autores.
mais sobre mim
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


21



pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO